Cirurgia

do Joelho

Joelho Degenerativo

Por joelho degenerativo entende-se as alterações articulares que aparecem na idade adulta, provenientes de traumas passados ou doenças metabólicas como as enfermidades reumáticas, ou na terceira idade, a artrose.


ARTROSE, SINÔNIMOS E SIGNIFICADO: a artrose do joelho, também conhecida como gonartrose, osteoartose, osteoartrite ou artrite degenerativa, significa uma alteração degenerativa ou desgaste da articulação, que pode atingir os espaços fêmoro tibiais interno ou externo e o espaço fêmoro patelar. Nos estados mais avançados, atinge todos os espaços, sendo denominada de pan-artrose ou artrose global do joelho.


GRAUS DA ARTROSE: as classificações da enfermidade são muito semelhantes e costumam dividi-las em quatro (Dejour) ou cinco (Halback) estágios. Quanto mais avançado o estágio, maior será a dor, a deformidade e a limitação funcional.



Joelho Degenerativo

Dr Pozzi

CAUSAS: são várias, a mais comum é a degeneração própria causada pela idade, sendo mais freqüente nas mulheres. A sobrecarga ponderal é um fator muito importante para a evolução da artrose. Seqüelas de fraturas propiciam degeneração precoce.


SINAIS E SINTOMAS: os primeiros dois estágios da artrose não costumam ser muito dolorosos, salvo em pacientes com maior demanda física ou com sobrecarga ponderal.

A dor é o primeiro sintoma a aparecer, que vai gradativamente se fazendo cada vez mais freqüente. A seguir aparece a limitação funcional progressiva, diminuição da mobilidade e alterações do eixo.



Dr Pozzi

DIAGNÓSTICO E EXAMES: o diagnóstico é feito pela história clínica e exame físico do paciente. O exame de eleição é a Radiografia, feita com apoio monopodal, simulando a marcha, dando a idéia da capacidade funcional do paciente.

Com o exame radiográfico pode-se classificar os estágios e tipos de artrose. A Ressonância Magnética é útil nos casos em que se suspeita de uma Síndrome de Insuficiência ou Osteonecrose, onde podem existir pequenas áreas de fraturas por estresse ósseo. Abaixo, radiografias exemplificando os quatro estágios de uma artrose fêmoro tibial interna do joelho.



Dr Pozzi

TRATAMENTOS: o tratamento irá ser adequado a cada grau de degeneração, conforme a idade, presença de enfermidades associadas, motivação e atividade do paciente.
Existem três tratamentos possíveis para a gonartrose: conservador, osteotomias e artroplastias.


Conservador: tem como objetivos retardar a progressão da artrose e ser um paliativo para dor. Nesta etapa podem ser usados antiinflamatórios, antiartrósicos (de uso oral), viscosuplementação (de uso articular). Controle do peso corporal quando necessário. Fisioterapia com a finalidade de reeducar a musculatura e a postura, promover melhoria da marcha, manter amplitude de movimento, readaptação funcional e reduzir a incapacidade.


Osteotomias: usada em pacientes mais jovens, abaixo dos 60 anos, em casos de artrose em apenas um dos compartimentos, tem a finalidade de preservar a articulação por mais tempo, retardando a progressão da deformidade. Este é um procedimento com indicações e durabilidade limitadas.



Dr Pozzi

Artroplastias: estas poderão ser Unicompartimentais, substituindo um dos compartimentos afetados, fêmoro tibial ou fêmoro patelar. São de indicação limitada segundo as deformidades e com vida útil semelhante às osteotomias.



Dr Pozzi


Dr Pozzi

Artroplastias totais: indicadas nos casos de artrose onde dois ou três compartimentos estejam afetados. É o tratamento definitivo da enfermidade, com a substituição das superfícies articulares degeneradas.



Dr Pozzi

Próteses totais do joelho: com base tibial em polietileno (paciente com 27 anos de evolução PO) e com base em metal e polietileno (paciente com 13 anos de evolução PO).



Dr Pozzi

PÓS-OPERATÓRIO:


As osteotomias exigem um pós-operatório limitado com supressão do apoio do membro operado até a consolidação óssea, que se dá num período de seis a oito semanas. A fisioterapia é imediata para ganho de mobilidade e preservação de musculatura, acompanhará o paciente por três a quatro meses.


As artroplastias tem permissão para apoio em 24 horas com uma bengala contralateral para auxiliar o equilíbrio. Faz-se uso de meias elásticas para minimizar a possibilidade de fenômenos trombo-embólicos. A fisioterapia é imediata, com finalidade analgésica, ganho de amplitude de movimento, recuperação muscular e treino de marcha. Em média, após o primeiro mês o paciente tem capacidade de praticar pequenas caminhadas sem bengala, é liberado para exercícios em piscina e bicicleta.


EVOLUÇÃO: as artroplastias com prótese total do joelho permitem recuperar a qualidade vida perdida, livrando o paciente da dor, da deformidade e da limitação funcional importante no cotidiano. Algumas atividades físicas são permitidas, desde que o paciente tenha disposição e capacidade física para tanto. São permitidas atividades como caminhadas, natação, hidroginástica, ginástica localizada, dança de salão, bicicleta, golfe e tênis em dupla. As atividades de impacto devem ser evitadas.



Dr. Pozzi


Dr. Pozzi

OBSERVAÇÕES GERAIS DA CIRURGIA


PRÉ-OPERATÓRIO: são feitos exames laboratoriais de rotina com antecedência. Quando necessário, avaliações clínica, cardiológica ou odontológica serão solicitadas com a devida antecedência.

NO DIA DA CIRURGIA: é obrigatório jejum absoluto por um período de oito horas antes da cirurgia. Recomenda-se que o paciente tome banho completo antes de sair de casa com sabonete degermante. Não esqueça de levar consigo todos os exames (laboratoriais e radiológicos), resultado de avaliações e o Consentimento Informado. Salvo em algumas exceções, a internação hospitalar acontece no mesmo dia da cirurgia.

ANESTESIA: a anestesia é, via de regra, um bloqueio regional, tipo raquidiana. Poderá, eventualmente, ser anestesia geral.